> Tudo sobre esportes você encontra aqui.

Goiânia GO

23/05/2019

13:51:58

> Tudo sobre esportes você encontra aqui.

Goiânia GO

23/05/2019

13:51:58

Palavra do Especialista

Qual o papel da alimentação na rotina de treinos?

Especialista em nutrição clínica e esportiva explica como a ingestão dos nutrientes certos pode ajudar a alcançar os resultados desejados

Qual o papel da alimentação na rotina de treinos?

Compartilhe

A prática de atividades físicas regulares nunca foi tão popular no Brasil como nos dias atuais. A chegada dos primeiros eventos de fisiculturismo ao País, a presença de celebridades com corpos cada vez mais delineados em programas de televisão e o surgimento de novos tipos de treinos e espaços mudou a relação do brasileiro com os exercícios físicos e a saúde. Mas, com essa popularização também se propagaram muitos mitos e dúvidas envolvendo a alimentação que a nutricionista clínica e esportiva Maíra Azevedo trata de esclarecer.

Enquanto o hábito de frequentar uma academia ou praticar atividades gera uma maior preocupação com a saúde e hábitos alimentares, muitos ainda ignoram a necessidade de buscar aconselhamento profissional na hora de definir qual é a dieta adequada para atingir o resultado desejado. Por mais que a internet facilite o acesso a um volume enorme de informações, a nutricionista ressalta que não há fórmula universal e que cada caso deve ser avaliado individualmente.

Quando comer?

 

É comum, por exemplo, a crença de que o “café-da-manhã é a refeição mais importante do dia”. Contudo, Maíra explica que isso depende de cada organismo. “Algumas pessoas não sentem nada de fome pela manhã e conseguem fazer exercício em jejum. Não há nenhum problema nisso. Já outras não conseguem, para esse público que acorda com fome é importante ingerir boas fontes de proteína e carboidrato para ter energia pela manhã e conseguir fazer o exercício físico”, explica.

O mesmo vale para a difundida recomendação de comer a cada três horas. Na verdade, o importante é comer sempre que tiver fome. Se essas refeições forem feitas de forma balanceada não haverá picos de fome que levem a excessos. E por falar em exagerar, Maíra Azevedo explica que, mesmo sendo um aliado na busca por energia, o café deve ser consumido com moderação.

A dosagem excessiva de cafeína pode resultar em taquicardia, insônia e ansiedade, por exemplo. Outra questão esclarecida pela nutricionista esportiva é ação dos alimentos termogênicos. “Não existe nenhuma relação entre termogênicos em geral e queima de gordura. Eles, na verdade, funcionam como estimulantes do Sistema Nervoso Central”.

Também crucial na rotina diária é a hidratação adequada. “É normal acharmos que estamos com fome quando na verdade o que nosso organismo sente é apenas sede”, alerta a especialista. Ela explica que a quantidade diária de água necessária varia de acordo com o nível de atividade física de cada um. Em média é recomendada a ingestão de três litros por dia, mas tendo em vista que quem se exercita mais elimina água no suor pode ser necessário hidratar-se mais.

É necessário tomar suplementos?

 

Um grande mito que cerca a busca por hábitos saudáveis é a suplementação. Ainda que pareça imprescindível ter pós e cápsulas presentes na rotina alimentar, Maíra Azevedo ressalta que a suplementação não é para todos e que alguns produtos comuns ao universo das academias sequer têm efeito.

 

+ Dicas e conselhos de especialistas em esporte e saúde

 

Segundo a nutricionista, o primeiro passo é entender a função desses produtos. “Os suplementos são utilizados para suprir, ou seja, quando não conseguimos adequar os macro e micronutrientes através da alimentação entramos com os suplementos”, salienta. Outro uso da suplementação estaria associado à busca comum ao público de academias por melhorar o rendimento.

A especialista alerta, no entanto, que ainda que esses produtos sejam encontrados cada vez mais facilmente é importante estar ciente das dosagens adequadas. “Os suplementos mais eficazes são o whey protein - proteína isolada do leite -, a cafeína, o bicarbonato de sódio, a creatina, os carboidratos e a beta alanina. Os demais não surtem efeito algum. É importante frisar que todo excesso, bem como a ingestão sem orientação, pode trazer riscos à saúde”, afirma.

Quais as funções de cada suplemento?

 

Whey Protein - ajuda a regular as fontes de proteína da alimentação e pode ser usado para auxiliar na manutenção do peso, no ganho de massa magra ou na redução do percentual de gordura;

Cafeína - ingerida na dosagem adequada é uma ótima fonte de energia. Obviamente trata-se do consumo de café sem açúcar ou de tabletes/cápsulas da substância;

Creatina - ajuda a dar força e, consequentemente, melhora o rendimento dos treinos de musculação;

Beta Alanina - outro reforço para o rendimento dos treinos na academia;

Bicarbonato de sódio - ajuda a retardar a fadiga muscular;

Carboidratos - fornecem energia de forma rápida e ajudam na recuperação muscular.

Maíra Azevedo é graduada em Nutrição, especialista em clínica e esportiva e colaboradora da coluna Palavra de EspecialistaEntre em contato com a profissional clicando aqui.

Compartilhe


Tags

Relacionados

Com temas que vão da terceira idade ao MMA, evento terá 12 palestrantes…

Para quem joga tênis

Cuidado com cotovelo de tenista

Comum em quem pratica o esporte, a lesão é um exemplo dos problemas…

O personal trainer Gustavo Gomes dá dicas para quem tem pouco tempo e…